Sexta-feira, 29 de Junho de 2007

Algumas Organizações Ambientalistas



ORGANIZAÇÃO
ENDEREÇO
  NaturLink http://www.naturlink.pt/
  Liga para a Protecção da  Natureza
http://www.lpn.pt/
  Quercus http://www.quercus.pt/
  SOS Lynx http://www.soslynx.org/
  Greenpeace http://www.greenpeace.org.br/
  World Wildlife Fund http://www.wwf.org/
  Pesticides Action Network Europe Foudation
http://www.pan-europe.net/
  Climate Network Europe
 http://www.climnet.org/
  Friends of the Earth Europe
 http://www.foeeurope.org/
 

Registo Nacional de Organizações não Governamentais de Ambiente (ONGA) e Equiparadas

 

ONGA nacionais:


Aliança para o Mundo Rural Português (ARP).

Amigos do Mar - Associação Cívica para Defesa do Mar.

Associação Nacional de Conservação da Natureza (Quercus).

Associação Nacional para a Cidadania Ambiental.

Associação para a Conservação do Lobo - Grupo Lobo.

Associação Portuguesa de Agricultura Biológica (AGROBIO).

Confederação Portuguesa de Associações de Defesa do Ambiente.

Federação Portuguesa de Cicloturismo e Utilizadores de Bicicleta.

Grupo de Estudos de Ordenamento do Território e Ambiente (GEOTA).

Liga de Amigos de Conímbriga (LAC).

Liga para a Protecção da Natureza (LPN).

Liga Portuguesa dos Direitos dos Animais (LPDA).


ONGA regionais:


Água Triangular - Associação de Ambientalistas da Bacia Hidrográfica do Vouga.

Amigos da Beira - Associação de Defesa do Património, Ambiente e Consumidor.

Amigos da Serra da Estrela (ASE).

Associação Ambientalista do Norte da Bairrada - Chão Verde.

Associação de Defesa do Ambiente e Património da Região de Leiria.

Associação de Defesa do Património Cultural e Ambiental (Almargem).

Associação dos Amigos do Rio Lega (AMILEÇA).

Associação de Estudo e Defesa do Património Histórico-Cultural de Castelo de Paiva (ADEP).

Associação para a Defesa do Ambiente (Eco-Natura).

Associação para a Defesa do Ambiente no Baixo Tâmega (ADABATA).

Clube de Montanhismo da Arrábida.

Comissão de Luta Antipoluição do Alviela - Associação Popular Ecológica (CLAPA).

Instituto Zoófilo Quinta Carbone.

Núcleo Regional de Investigação Arqueológica Associação de Estudos do Alto Tejo (NRIA).

ONGA Tejo.

Os Montanheiros - Sociedade de Exploração Espeleológica.

Rio Neiva - Associação de Defesa do Ambiente.


ONGA locais:


Associação Estudo e Defesa do Ambiente do Concelho de Alenquer.

Associação Cultural Azurara da Beira (ACAB).

Associação de Conservação do Meio Ambiente (ACMA).

Associação de Defesa da Praia da Madalena.

Associação de Defesa do Ambiente da Freguesia de Apúlia (Gaivota).

Associação de Defesa do Ambiente de Estarreja (Cegonha).

Associação de Defesa do Ambiente de Sermonde e Serzedo (Pinus).

Associação de Defesa do Ambiente do Concelho de Portimão.

Associação de Defesa do Ambiente do Lavradio.

Associação de Defesa do Ambiente São Martinho do Porto.

Associação de Defesa do Concelho da Lourinhã (LOURAMBI).

Associação de Defesa do Património Cultural e Ambiental de Santo Amador.

Associação de Defesa do Património Cultural e Natural de Penha Garcia.

Associação de Defesa do Património de Pombal.

Associação de Defesa do Património de Sintra.

Associação de Defesa do Paul de Tornada (Pato).

Associação de Protecção da Natureza do Concelho de Trancoso.

Associação dos Amigos da Ria Alvor.

Associação dos Amigos do Concelho de Vinhais (Castanheiro).

Associação dos Amigos do Mindelo.

Associação dos Amigos do Parque Ecológico do Funchal.

Associação dos Jovens Ambientalistas de Queluz (Kid Carcaça).

Associação de Estudo e Defesa do Património Natural e Cultural do Concelho de Mértola.

Associação para a Defesa do Ambiente (Marés).

Associação para a Defesa do Ambiente e do Património na Região de Trofa (Adapta).

Associação para a Defesa do Património Arouquense.

Associação para a Defesa e Divulgação de Património Cultural de Torres Vedras.

Associação para a Recuperação do Património da Arruda dos Vinhos.

Associação Protectora Amigos do Maçãs (APAM).

Centro de Arqueologia de Almada Clube do Ambiente e Património do Arda e Urtigosa (URTIARDA).

Grupo de Amigos da Serra do Mendro (Gama).

Grupo de Amigos de Montemor-o-Novo.

Grupo de Intervenção e Informação para a Protecção do Ambiente e Desenvolvimento (PROIDA XXI).

Movimento Ecológico Baden Powell.

Núcleo Cicloturista de Sesimbra (Ada).


ONGA sem âmbito atribuído:


Associação Bandeira Azul da Europa.

Associação Cristã de Estudos e Defesa do Ambiente (A Rocha).

Associação de Defesa do Ambiente (Azorica).

Associação de Defesa do Ambiente e Património (Crepúsculos).

Associação de Defesa do Ambiente e Qualidade de Vida (Cosmos).

Associação de Defesa do Ambiente Regional Gê-Questa.

Associação de Defesa do Património (Corema).

Associação de Defesa do Rio Real (Real 21).

Associação de Estudos e Intervenção Regional para o Ambiente.

Associação de Estudos Subterrâneo e Defesa do Ambiente (AESDA).

Associação de Juventude em Defesa do Património Histórico-Cultural e Natural de São Jorge.

Associação de Protecção aos Animais (Senhores Bichinhos).

Associação Eurocoast Portugal.

Associação Juvenil de Ambiente e Aventura (Onda Verde).

Associação Juvenil Recuperação do Património Cultural e Natural.

Associação para a Protecção e Defesa da Floresta (Planeta Verde).

Associação Portuguesa de Educação Ambiental (ASPEA).

Associação Portuguesa de Empresas de Tecnologias Ambientais.

Associação Portuguesa dos Recursos Hídricos (APRH).

Centro de Estudos da Avifauna Ibérica (CEAI).

Clube Bioecológico Amigos da Vida Selvagem.

Clube de Actividades de Ar Livre (CAAL).

Espeleo-Clube de Torres Vedras.

Grupo Intersectorial de Reciclagem (GIR).

Movimento para a Defesa do Rio Lima (MOLIMA).

Núcleo de Defesa do Meio Ambiente de Lordelo do Ouro (NDMALO).

Núcleos Urbanos de Pesquisa e Intervenção (Urbe).

Projecto Palhota Viva.

Sociedade Portuguesa de Ecologia (SPECO).

Sociedade Portuguesa de Espeleologia.

Sociedade Portuguesa para o Estudo das Aves (SPEA).


Equiparadas a ONGA:


Amigos dos Açores/Associação Ecológica.

Associação de Defesa, Reabilitação, Investigação e Promoção Patrimonial, Natural e Cultural de Cacela-a-Velha.

Associação Ambiental A Nossa Terra.

Associação Cultural e de Defesa do Património de Sendim (Sirgo).

Associação da Juventude (BIT 9).

Associação de Defesa da Ilha da Armona (Laia).

Associação de Defesas do Património Cultural do Concelho do Bombarral.

Associação de Desenvolvimento Local (A Marca).

Associação de Moradores da Quinta da Carreira.

Associação de Debate de Ideias e Concretizações Culturais de Viseu.

Associação de Defesa e Valorização do Património Cultural da Região de Alcobaça (ADEPA).

Associação de Defesa, Estudo e Divulgação do Património Cultural.

Associação do Vale do Neiva (Cultural, Património e Ambiente) A Mó.

Associação dos Amigos da Ria e do Barco Moliceiro (AMI-RIA).

Associação dos Antigos Habitantes de Vilarinho da Furna (A Furna).

Associação dos Naturais e dos Amigos de Águeda (ANATA).

Associação Florestal de Portugal (FORESTIS).

Associação Jovem de Defesa do Ambiente Geração Verde.

Associação Juvenil Olho Vivo.

Associação para a Defesa do Património Cultural e Natural de Soure.

Associação Portuguesa de Engenheiros do Ambiente (APEA).

Associação Portuguesa de Guardas e Vigilantes da Natureza.

Centro para o Direito Ambiental e Desenvolvimento Sustentado (Euronatura).

Centro Português de Actividades Subaquáticas (CPAS).

Centro Profissional de Desenvolvimento Sustentável (BEIRAMBIENTE).

Corpo Nacional de Escutas (CNE) - Escutismo Católico Português.

Grupo de Arqueologia e Arte do Centro (GAAC).

Grupo de Intervenção e de Sensibilização Ambiental (GISA).

Liga Ambiental Educação Juvenil e Ciências do Mar - Mar Azul - Liga do Mar.

Liga dos Amigos dos Campos de Mondego (LACAM).

Liga Portuguesa de Profilaxia Social (LPPS).

Movimento Ambientalista de Peniche (Arméria).

Núcleo de Estudos e Artes do Vale do Âncora (NUCEARTES).

 

 
Publicado por simbioseverde às 18:27

Link do post | Comentar | Ver comentários (3) | Adicionar aos favoritos
|

Sabia que...?


- Em média, uma árvore absorve 200Kg de carbono durante seu crescimento, evitando que haja mais CO2, o principal gás de efeito estufa, na atmosfera.

- Em 1970, 99% da floresta amazónica permanecia intacta. Actualmente, estima-se que 14% da área florestal – uma superfície equivalente à da França – tenha já sido eliminada. O ritmo de desflorestação aumenta, com as autoridades a prever para este ano um aumento de 20% da área a abater, quando comparada com a do ano anterior.

- Entre 1980 e 1985, os países em vias de desenvolvimento perderam aproximadamente 200 milhões de hectares de floresta.


- Em 1987, o Brasil perdeu 9 milhões de hectares de floresta húmida. Esta ocorrência foi responsável por 20% do aumento da quantidade de CO2 atmosférico neste século.


- Na Bolívia, 1987, foi organizada a "primeira permuta de dívida por Natureza" em que foram perdoados 650 000 dólares da dívida nacional deste país, a troco da preservação de uma área de 160 000 km2 de floresta húmida e de savana.


- O ano de 1995 foi o mais quente na Terra desde há, pelo menos, 140 anos, quando começou o registo regular das temperaturas.


- Entre Junho de 1997 e Junho de 1998 a desflorestação aumentou 27% na Amazónia.


- A duração média de vida de uma árvore é cerca de 50 anos. Nesse período de tempo ela seria responsável pela produção de oxigénio no valor de 31 250 dólares e de 62 500 dólares no controlo da poluição. Se essa árvore fosse abatida, não renderia mais que 590 dólares.


- Mais de 8500 espécies de árvores encontra-se em extinção. Em cada 4 produtos farmacêuticos, um vem de uma planta da floresta tropical sendo cerca de 70% dessas plantas consideradas úteis no tratamento do cancro.


- Os japoneses deitam fora 16 milhões de pares de pauzinhos todos os dias – todos eles feitos com a madeira das florestas húmidas de Sarawak.


- Em média, a desflorestação anual do planeta corresponde a uma área superior à de Portugal.

 

- Cada cidadão da CEE produz anualmente 2,3 toneladas de dióxido de carbono. Cada norte-americano produz 5,2 toneladas.

 

- As celuloses,os têxteis e os produtos químicos são as 3 indústrias + poluentes de Portugal.

 

- Calcula-se que o corte de 50% na produção de CFC's reduziria 95% dos danos na camada de ozono.

 

- Setúbal, Castelo Branco, Aveiro, Viseu e Coimbra são os distritos que produzem mais resíduos tóxicos por ano em Portugal.

 

- O Canadá é um dos países + afectados pelas chuvas ácidas: 14 000 rios e lagos estão mortos.

 

- 5 000 espécies de animais e plantas são extintas na Terra em cada ano que passa.

 

- Cerca de 75% da água que gastamos em nossas casas é usada na casa de banho.

 

- Se os portugueses usassem correctamente a energia, poderiam poupar 86 milhões de contos por ano, ou seja, 16 milhões de barris de petróleo.

 

- 3 L de um produto solvente (para tintas, por exemplo) podem contaminar 60 milhões de litros de água subterrânea.

 

- Que quantidade de lixo uma pessoa produz durante a vida? Cerca de 600 vezes o peso que atinge na idade adulta.

 

- Segundo a organização Save a Tree (Salve uma árvore), para fazer apenas 700 sacos de papel, é preciso uma árvore de 15 a 20 anos de idade.

 

- Contam se em milhões os sacos de plástico e outras embalagens que todos os anos entram nas nossas casas.

 

- Um lar americano médio utiliza, por ano energia equivalente a 4800 L de petróleo.

 

- Mais de metade dos fosfatos existentes nos nossos lagos e rios vêm dos detergentes.

 

- Segundo a revista Home Energy, poupar-se-iam mais de 950 milhões de litros de água por dia, nos EUA, se em todos os lares americanos se instalassem compressores de torneiras.

 

- Uma torneira a pingar, mesmo que o pingo seja mínimo, pode desperdiçar mais de 190 L de água por dia.

 

- Durante uma operação de limpeza ao longo de 480 Km de costa texana, em 1988, foram encontradas 15600 argolas de plástico, em 3 horas.

 

- A marinha mercante mundial lança diariamente no mar 450 000 recipientes de plástico.

 

- O frigorífico e, entre todos os electrodomésticos o que consome mais energia: 2000 kWh por ano. Mas este número pode variar em 50% consoante o modo como o utilizarmos.

 

- Não importa se a porta do frigorífico fica aberta 15 ou 30 segundos o ar frio que havia a perder já está perdido.

 

- Quando comprar um aparelho electrodoméstico, escolha o que gastar menos energia.

 

- Os electrodomésticos não se medem aos palmos. O pequeno ferro de engomar pesa bastante na sua conta de electricidade.

 

- Em Portugal 70% da energia consumida é obtida através do petróleo.


- Alguns fabricantes de máquinas de lavar começam a conceber modelos que consomem menos água.

 

- O poluente mais comum dos recintos fechados é o cigarro. Embora não pareça, a sua maneira de vestir, comer, deslocar se... influenciam o meio ambiente.

 

- Segundo a NASA, as plantas de interior são importantes auxiliares da luta contra a poluição em recintos fechados.

 

- A água que desperdiça cada vez que deixa a torneira aberta, enquanto faz a barba ou lava os dentes, dava para tomar um grande duche todos os dias.

 

- Um autoclismo que esteja a perder água desperdiça, em 6 meses, 171000L de água

 

- 40% da água potável usada em sua casa vai pela sanita abaixo.

 

- Como descobrir se o seu autoclismo perde água? Ponha umas gotas de corante no depósito se... vir água com corante na sanita, sem ninguém ter puxado o autoclismo, é porque há uma fuga.

 

- Se uma família de quatro pessoas tomar, todos os dias, duches de 5 minutos, gastará mais de 2600 L de água por semana -o equivalente à água que uma pessoa bebe ao longo de 3 anos.

 

- O consumo excessivo de águas subterrâneas na região sul de Portuga1 levou à salinização dos lençóis de água.

 

- Por cada grau de temperatura ganho através de um bom isolamento e da afinação dos aparelhos reguladores da temperatura há uma economia de 10% nas despesas de energia com o aquecimento.

 

- A temperatura nas cidades é, em média, 2 a 3°C mais alta do que no campo circundante, devido ao consumo de energia.

 

- Cerca de 680 contos dos impostos pagos por cada alemão destinam se a cobrir a factura do ambiente.

 

- Todos os anos, os americanos compram mais de 1000 milhões de lâmpadas incandescentes. Ou seja, 1,5 hectares cheio de lâmpadas por dia.

 

- Na Noruega, 99,5% da energia eléctrica provém de aproveitamentos hídricos. No Japão, essa percentagem baixa para 12%.

 

- Uma ideia para poupar energia: tenha as lâmpadas sempre limpas, a sujidade absorve a luz, gastando mais energia.

 

- A incineração de plásticos lança para a atmosfera diversos agentes tóxicos e cinzas. Entre eles, o ácido clorídrico que provoca chuvas ácidas e contribui para a destruição da camada de ozono.

 

- Os americanos compram e deitam fora 500 milhões de isqueiros recarregáveis por ano.

 

- Um dado comprovado: 84% do lixo doméstico é reciclável.

 

- Só os americanos gastam 11 milhões de litros de tinta por dia. São mais de 1000 milhões de litros por ano – o suficiente para encher um lago com 6 m de profundidade, 6 km e meio de comprimento e 1,5 km de largura.

 

- Na Dinamarca, 98% da população dispõe de estações de tratamento de águas.

 

- Uma lata de alumínio pode ser refeita e reposta no mercado em 6 semanas.

 

- Os transportes representam 35% do consumo de energia em Portugal. Mais 1% do que a indústria.

 

- Um automóvel desafinado emite o dobro de substâncias poluentes.

 

- Em 1989, calcula-se que o trânsito rodoviário tenha libertado, em Portugal, para a atmosfera, 83 toneladas de óxido de azoto.

 

- Milhares de litros de óleos usados não são recolhidos, acabando por se infiltrar nos solos e rios de Portugal.

 

- Uma parte de óleo por cada milhão de partes de agua é o bastante para água potável ter um cheiro e um sabor estranhos.

- O líquido anticongelante usado no sistema de refrigeração dos automóveis é tóxico. Não deixe, por isso, pingos de anticongelante no chão.

 

- Segundo a Massachusetts Audubon Society, 3,8 L de gasolina podem contaminar 2850 000 L da água potável.

 

- Calcula-se que, anualmente, se despejam nos oceanos 37 000 toneladas de chumbo.

 

- Uma única pilha contamina o solo durante 50 anos.

 

- Cerca de 40% do total das vendas de pilhas é efectuado durante a época do Natal.

 

- Os aparelhos de ar condicionado defeituosos dos automóveis são uma fonte de emissões de clorofluorcarbonetos para a atmosfera.

 

- A Argentina foi um dos países que aceitou receber o lixo radioactivo produzido pelas centrais nucleares francesas.

 

- A erosão dos solos é, em Portugal, 5 vezes superior à média mundial

 

- Apenas 3% da água existente na Terra é doce.


- Percentagem da superfície da Terra ameaçada de desertificação: 35%.


- Num lar médio existem, hoje, mais químicos do que num laboratório médio, há 100 anos.

 

- Para meio hectare de relvado são precisos mais de 100 000L de água por semana. Mas, por sistema, regamos os relvados exageradamente 20% a 40% mais do que é preciso.

 

- Os EUA gastam 1710 000 milhões de litros de água por dia.

 

- Em alguns países, começam a usar se as águas residuais dos esgotos urbanos na rega de jardins ou de culturas como o milho.

 

- Um estudo, levado a cabo pela U. S. Fish and Wildlife, sobre albatrozes bebés registou 90% deles, com plástico nos seus aparelhos digestivos

 

- Cerca te 8 000 milhões de quilos de lixo são deitados para o mar todos os anos.

 

- Na América produz-se, por dia, uma quantidade de copos de esferovite que seria suficiente para dar a volta ao mundo 436 vezes.

 

- As pipocas começam a ser usadas como amortecedor de embalagens em vez da esferovite.

 

- O lixo que deita fora na rua ou no campo pode magoar os animais.

 

- 80% do total de marfim é tirado de elefantes ilegalmente caçados e abatidos.

 

- O boicote funciona. Em 1982 existiam 400 comerciantes de peles na Holanda. Hoje existem 30.

 

- Em Portugal, 20% do lixo é incinerado e 60% vai para lixeiras, onde liberta toxinas que se infiltram no solo e nos lençóis de águas subterrâneas.

 

- De 3 em 3 meses, os EUA deitam fora uma quantidade de alumínio que seria suficiente para reconstruir a sua frota de aviões comerciais.

 

- Se o mundo reciclasse metade do papel que consome, 40 000 Km2 de terras seriam libertados do cultivo de árvores de crescimento rápido que abastecem a indústria do papel

 

- 310 milhões de pacotes de lenços de papel são gastos anualmente na Grã-bretanha.

 

- A destruição das florestas tem ajudado o deserto, nos últimos 50 anos a invadir, no Sael africano, uma área igual a da França e da Áustria juntas.

 

- Cerca de 7600 toneladas de vidro foram recicladas em Portugal, em 1989. Pode parecer muito mas representa apenas 13% do vidro que consumimos.

 

- A Suíça recicla 55 % do seu vidro.

 

- Dois recicladores: Os tordos e os papa figos usam bocados de cordel nos seus ninhos.

 

- Para produzir 1kg de carne é preciso 100 vezes + água do que para produzir 1kg de trigo.

 

- Todos os anos se gastam mais de 1000 milhões de árvores no fabrico de fraldas de papel

 

- O fabrico de fraldas descartáveis consome mais de um bilião de árvores por ano.

 

- Segredo de fabrico: os rolos de papel para cozinha e o papel higiénico são, muitas vezes, feitos de papel reciclado.

 

- A quantidade de papel que os americanos deitam fora todos os anos, só no escritório, dava para construir um muro de 3,60 m de altura e 4500 km de comprimento.

 

- Se continuarmos a fazer lixo a este ritmo, serão precisos 500 depósitos de lixo novos por ano.


- No Brasil são consumidos cerca de 400 milhões de copos de plástico para café todos os meses.

 

- Todos os anos se destroem 13 milhões de hectares de florestas tropicais. O que representa 35 000 hectares por dia, 1500 hectares por hora, 25 hectares por minuto.

 

- 120 pistas de aviação foram abertas em território dos índios ianomamis, na Amazónia, cujas terras foram invadidas por mais de 40 000 aventureiros.

 

- O Brasil perde, anualmente, 50 000 km quadrados de florestas.

 

- Com o simples isolamento do telhado poderá ser poupado cerca de 20% dos gastos em energia.

 

- Por cada ºC que baixar no termóstato, pode reduzir em 2% a conta do seu aquecimento.

 

- Ao contrário do que vulgarmente se pensa, os pequenos electrodomésticos agravam muito a conta da electricidade.

 

- Há 1000 anos, 80% da Europa Central estava florestada. Hoje, essa percentagem reduziu se para 20%.

 

- A Associação dos Produtores de Electricidade Holandeses resolveu plantar milhares de árvores para compensar os 75 milhões de toneladas de dióxido de carbono que uma nova central eléctrica lançara para a atmosfera.

 

- Há muitos insecticidas usados sem necessidade.

 

- Se tem ratos em casa uma ratoeira é, ainda, a melhor forma de os apanhar.

 

- Em 1986, a Itália consumiu 160 000 toneladas de pesticidas.

 

- Calcula se que, numa cidade de 100 000 habitantes sejam lançados, todos os meses, nos esgotos, 3, 75 toneladas de liquido para limpar sanitas, 13,75 toneladas de detergentes domésticos e 3,44 toneladas de óleo de automóvel.

 

- Entre 1975 e 1989, a RFA pagou à RDA 700 milhões de dólares para poder despejar lixo em Berlim Leste.

 

- Os caixotes de lixo de Lisboa têm agora o dobro de papel e metade dos detritos orgânicos que tinham há 12 anos atrás.

 

- Os engarrafamentos fazem aumentar o consumo de petróleo e são um dos grandes responsáveis pela poluição que se vive no centro das grandes cidades.

 

- O fabrico de cada automóvel gera 25 toneladas de detritos.

 

- Nas florestas actuais não há lugar para as árvores velhas e ocas. Por isso, muitas aves, sobretudo as cavernícolas, não têm onde construir os seus ninhos. Ofereça-lhes um.

 

- Os países da CEE importam todos os anos 200 000 papagaios do Brasil.

 

- Ao aproveitar as folhas das árvores, a relva e outros detritos orgânicos para fazer adubo não está só a reciclar. Está também a diminuir o consumo de adubos químicos

 

- No Outono, as folhas das árvores podem constituir 75% do fluxo de detritos sólidos.

 

- Se poupássemos 20% no consumo de petróleo, economizávamos 2 milhões de toneladas de crude, o que equivale a 45 milhões de contos, e diminuiríamos a poluição atmosférica.

 

- A degradação causada pela poluição nas florestas europeias custa, anualmente, 3,9 000 milhões de contos.

 

- Existem, em Portugal, 260 000 caçadores com licença e inúmeros ilegais.

 

- Das 178 espécies animais existentes na região do mar de Aral na URSS, há alguns anos, apenas sobrevivem 38.

 

- Segundo a Diet for a New America (Dieta para uma América Nova) mais de 1000 milhões de pessoas poderiam alimentar se com os cereais e a soja comidos anualmente pelo gado nos EUA.

 

- Impressionante: para produzir um bife, são necessários 9,906 L de água.

 

- Para produzir meia dose de Frango são precisos 1,550 L de água.

 

- O turismo pode ser uma forma de divulgação e rendibilidade dos parques e reservas. Mas também pode ser, e é muitas vezes, um agente de destruição da natureza.

 

- Não compre conchas nem corais, pois, está a contribuir para a destruição dos recifes.

 

- As plantas nacionais precisam de menos água do que as espécies importadas.

 

- As flores e as ervas selvagens fornecem alimento aos insectos benéficos.

 

- Um hectare de floresta tropical húmida contém mais biodiversidade do que todas as florestas temperadas juntas.


- Cada hectare de floresta queimada liberta até 200 toneladas de dióxido de carbono.


- Os 3 países mais afectados pela desflorestação são: Malásia, República Democrática do Congo e a Bolívia.


- O Brasil perde anualmente cerca de 45 000 Km2 (metade da área de Portugal), a Indonésia cerca de 12 000 Km2, o México 7 mil Km2.


- Para reciclar 1 tonelada de latas de alumínio gasta-se 5% da energia necessária para produzir a mesma quantidade de alumínio pelo processo primário, além de evitar a extracção da bauxita, o mineral necessário à fabricação da alumina, que é transformada em liga de alumínio. Cada tonelada do metal exige 5 de minério.


- Apesar de 2/3 da superfície do nosso planeta estarem cobertos por água, apenas 0,6% dessa água é própria para consumo humano? Os restantes 97% constituem os oceanos (água salgada) e 2,4%  a água congelada nos pólos.


- Uma descarga de autoclismo num país ocidental utiliza o mesmo volume de água que um habitante do mundo em desenvolvimento consome, em média, num dia inteiro para a sua higiene, para bebe, para limpeza e para cozinhar?


- Os habitantes do Kuwait, dispõem de 10 m3 de água por pessoa por ano, o mesmo volume de água que qualquer ocidental consome em cerca de 2 meses? Uma situação dramática visto que o alerta para o stress hídrico está assinalado nos 1700m3 de água por pessoa por ano. Prevê-se que dentro de 30 anos, 5.5 biliões de pessoas viverão em condições de moderada a severa escassez de água.


- Segundo os especialistas, a guerra da água é uma realidade que nos espera? Apenas resta saber sob que forma e em que intensidade se fará sentir ( em 2002 Mikhail Gorbachev - antigo Director-Geral da UNESCO - assinaram um acordo de cooperação para conservação da água e prevenção de disputas originadas pela sua escassez).


- 60% das reservas de água do mundo estão concentradas em 10 países? Aproximadamente 300 rios e lagos a nível mundial atravessam fronteiras políticas e culturais, obrigando à partilha da fonte.


- Usando um copo - em vez de deixar a torneira com a água a correr - poderá poupar mais de 30L de água de cada vez que lava os dentes ou se barbeia?


- Uma torneira a pingar gasta cerca de 25L de água por dia? Conserte torneiras, canos ou autoclismos que estejam avariados.


- Num banho de imersão gatas cerca de 180L de água enquanto que no duche gasta entre 15 a 20L de água por minuto?


- Os recursos de água doce disponíveis têm vindo a diminuir exponencialmente nos últimos 2 séculos? As projecções apontam para o desaparecimento de 80% das reservas de água per capita no espaço de uma vida humana.


- A máquina de lavar roupa consome entre 60 a 90L de água por lavagem? Use-a apenas quando tiver a carga máxima.


- Regando as plantas de manhã cedo ou à noite evita que uma grande % de água se desperdice ao evaporar-se com o calor?


Publicado por simbioseverde às 16:26

Link do post | Comentar | Ver comentários (2) | Adicionar aos favoritos
|

Videos - Ambiente

Porque as imagens "falam" por si....


 
Publicado por simbioseverde às 11:10

Link do post | Comentar | Adicionar aos favoritos
|
Sábado, 23 de Junho de 2007

Efeito de estufa

                             

Introdução

A temperatura média do globo terrestre e da troposfera (camada da atmosfera entre a superfície do globo é cerca de 12km de altitude) é de cerca de 15ºC. No entanto, se a atmosfera não contivesse vapor de água, dióxido de carbono, metano ou outros gases de menor concentração, a temperatura média global seria de -18ºC!

A esta temperatura a água estaria congelada não seriam possíveis as formas de vida existentes no nosso planeta. Isto é evitado por causa do “efeito de estufa” cuja denominação se deve à analogia com o que acontece com uma estufa para plantas.

Numa estufa, o vidro ou o plástico que a cobre funciona como um “captador” de energia enquanto que no caso da Terra é a atmosfera que tem esse papel. A energia radiada pelo Sol (corpo irradiando a uma temperatura de cerca de 6000K) cobre todo o espectro electromagnético mas o máximo de intensidade da radiação emitida localiza-se nos pequenos comprimentos de onda (c.d.o), correspondentes à região do visível (assim denominados porque os nosso olhos só são sensíveis a esses c.d.o.). Tanto o vidro, como o plástico como a atmosfera são praticamente transparentes a essa radiação, isto é, deixam-se atravessar por ela sem a absorverem. Sabemos que qualquer corpo a uma temperatura diferente do zero absoluto (0 K) emite radiação. Mas os corpos a temperaturas como as das plantas ou do globo terrestre (isto é, à volta dos 300 K) emitem em c.d.o. muito maiores que os do visível, já pertencendo ao domínio dos infravermelhos. Mas para esta radiação já o vidro, o plástico ou a atmosfera não são transparentes! Então estas “coberturas” não vão deixar que essa energia as atravesse e se “escape”. É por isso que as estufas são tão quentes no seu interior. E é por isso que um automóvel estacionado ao Sol aquece brutalmente.


O que se passa com o nosso Planeta:

A radiação solar que chega ao topo da atmosfera e nela penetra vai ser, em parte, absorvida (pelos gases atmosféricos e vapor de água), difundida (pelas moléculas dos gases atmosféricos e pelas partículas em suspensão no ar) e reflectida (principalmente pelas nuvens). Então só uma parte (cerca de 47%) da radiação que chega ao topo da atmosfera é que alcança o globo terrestre (oceanos e continentes). Essa radiação corresponde quase totalmente a radiação visível (para a qual a atmosfera é quase transparente, como já vimos). Por sua vez, o globo também emite radiação mas no domínio dos infravermelhos. Esta radiação é praticamente absorvida na totalidade pelos gases da atmosfera, os quais re-irradiam nesses mesmos c.d.o. O efeito de estufa baseia-se precisamente neste facto: a “transformação” de c.d.o.: a atmosfera e o globo recebem radiação de pequenos c.d.o. (para os quais a atmosfera é praticamente “transparente”) e “transformam-na” em radiação de grandes c.d.o. (para os quais a atmosfera é praticamente “opaca”). A superfície do globo está em equilíbrio com a radiação que recebe do Sol e uma quantidade equivalente que ela devolve sob a forma de radiação infra-vermelha.

Nos últimos 100 anos a temperatura da superfície da Terra aumentou cerca de 0,5ºC mas não está demonstrado que esse aumento seja consequência directa do aumento da concentração de dióxido de carbono e outros gases na atmosfera que começou no final do século XVIII com a Revolução Industrial. Alguns cientistas pensam que o aquecimento global terá como efeito evaporar mais água do oceano e portanto contribuir para uma maior cobertura nebulosa que, por sua vez, impedirá melhor a penetração da radiação solar e portanto reduzirá o aquecimento. Apesar de não haver certezas, é prudente que se tentem minimizar as modificações introduzidas pelo homem no ambiente terrestre e reduzir os seus impactos.

Desde 1958 que tem sido medida a concentração de anidrido carbónico no Hawaii, bem longe das principais regiões industriais do ocidente. Este registo mostra um nítido aumento dessa concentração sobreposto às variações anuais que resultam da actividade biológica natural (no Verão e primavera, domina a fotossíntese pelas plantas relativamente à respiração pelos animais; no Outono e Inverno, passa-se o inverso). Os cientistas estimam que os oceanos absorvem entre 30% e 50% das emissões de anidrido carbónico pelo que as concentrações na atmosfera seriam muito maiores (entre 500 e 600ppm em vez dos actuais 360 ppm) se não fosse essa acção do oceano como sumidouro. O que preocupa os cientistas é que as flutuações dos níveis de anidrido carbónico no passado geológico estiveram associadas a flutuações drásticas do clima. Tudo leva a crer que, se continuar o aumento dos níveis de anidrido carbónico tal como tem vindo a acontecer nos últimos 100 anos, isso tenha influência no clima. Modelos de previsão dos resultados desse aumento indicam que a baixa atmosfera poderá ter um aquecimento médio da ordem de 2ºC nos próximos 50-100 anos. É evidente que este aumento não se deverá dar de modo uniforme em todo o planeta. As temperaturas polares, por exemplo, deverão subir cerca de 6-10ºC, o que levará à fusão das calotes polares na Antárctida e na Gronelândia. Isto terá como consequência a subida do nível do mar e a inundação de grande parte das zonas costeiras e ilhas. O facto do aquecimento não ser uniforme no planeta, sendo maior nas latitudes elevadas do que nas baixas, vai implicar menor contraste de temperaturas do que o actual, o que causará modificações nos ventos e na precipitação. É difícil prever com exactidão as consequências porque, na verdade, há uma série de interacções e processos de realimentação que não são bem conhecidos mas que podem ter um papel muito importante.


O que é o efeito de estufa

O Efeito de Estufa consiste, basicamente, na acção do dióxido de carbono e outros gases sobre os raios infravermelhos reflectidos pela superfície da terra, reenviando-os para ela, mantendo assim uma temperatura estável no planeta. Ao irradiarem a Terra, parte dos raios luminosos oriundos do Sol são absorvidos e transformados em calor, outros são reflectidos para o espaço, mas só parte destes chega a deixar a Terra, em consequência da acção reflectora que os chamados "Gases de Efeito de Estufa" (dióxido de carbono, metano, clorofluorcarbonetos  (CFC's) e óxidos de azoto) têm sobre tal radiação reenviando-a para a superfície terrestre na forma de raios infravermelhos.



Público



Quais são os gases que provocam o Efeito Estufa (EE)?


Dióxido de Carbono (CO2) é um gás proveniente da queima de combustíveis fósseis e da matéria orgânica e do desflorestamento. A concentração na atmosfera do planeta passou de 280 ppm no período pré-industrial para 379 ppm em 2005, sendo que a permanência na atmosfera é de 50 e 200 anos - o chamado tempo da descida do gás.  O potencial de aquecimento global de uma molécula de CO2 é usado como referência métrica padrão para determinar o potencial de aquecimento global (PAG) dos demais GEEs. Atualmente, o CO2 contribui com 64% do efeito estufa no planeta e tem um tempo de duração de 50 a 200 anos e, entre os restantes gases, é o que mais contribui para EE, com uma participação de 64%;

Metano (CH4) o gás metano é gerado por atividades como a pecuária, o cultivo de arroz inundado, a queima de combustíveis fósseis e de biomassa, indútrias agrícolas e matéria orgânica em decomposição.  A concentração na atmosfera passou de 715 ppb no período pré-industrial para 1732 ppb no início dos anos 1990 e chegou a 1774 ppb em 2005.  O potencial de aquecimento global é 25 vezes maior do que o do dióxido de carbono, sendo que a molécula de CH4 permanece na atmosfera por até 20 anos, em média.  Atualmente, o metano contribui com cerca de 19% do efeito estufa do planeta.
 
Óxido Nitroso (N2O) é proveniente da indústria agrícola e é utilidado como fertilizantes e de atividades de conversão do uso da terra. A concentração foi de 270 ppb no período pré-industrial a 319 ppb em 2005.  Seu potencial de aquecimento global é cerca de 300 vezes maior que do dióxido de carbono e sua permanência na atmosfera chega a 150 anos.  Atualmente, 5,7% do efeito estufa está relacionado ao N2O.
 
Ozono (O3) - é o mais importante dos oxidantes fotoquímicos;
na estratosfera existe em grande quantidade onde tem um papel essencial ao limitar a quantidade de radiação solar UV que atinge a superfície terrestre mas na troposfera (camada mais baixa da atmosfera) é um poluente secundário nocivo para a saúde.
 
- Efeitos do O3:
 
Saúde
Penetra profundamente nas vias respiratórias, afectando os brônquios e os alvéolos pulmonares;
causa irritações nos olhos, nariz e garganta, seguindo-se tosse e dor de cabeça;
os efeitos manifestam-se mesmo para baixas concentrações e períodos curtos.

Vegetação
Provoca manchas nas folhas, redução de crescimento a partir de certas concentrações e períodos de exposição;
completa destruição de culturas mais sensíveis.
 
Materiais
Provoca a degradação de muitos materiais, tais como a borracha, designadamente dos limpa pára-brisa dos automóveis que em atmosferas urbanas poluídas perdem a flexibilidade e quebram facilmente.

No solo, o ozono é gerado pela queima de biomassa e pela ação da luz do sol sobre hidrocarbonetos e moléculas Nox. A sua permanência na atmosfera é de no máximo alguns meses, mas contribui com cerca de 8% do efeito estufa. A molécula do ozono é formada pela ligação entre três átomos de oxigênio.
 

Hexafluoretos - são gases sintéticos caracterizados pela associação do átomo de flúor a outros elementos.  Apresentam potencial de aquecimento global altíssimo.  Destacam-se o hexafluoreto de enxofre (SF6) e os perfluorcarbonetos (PFC´s).

 

- Hexafluoreto de Enxofre (SF6) - gás sintético utilizado na geração de eletricidade, na fundição de magnésio e em semicondutores. O potencial de aquecimento global pode ser mais de 22 mil vezes superior ao do CO2. Dura cerca de 3200  anos e contribui em 0.08% para o EE.

- Perfluorcarbonetos (PFC´s) são usados na produção de equipamentos eletrónicos ou emitidos como subprodutos da produção do alumínio primário, estes gases sintéticos tem um potencial elevado no aquecimento global, podendo chegar a índices de 6.500 a 9.200 vezes superiores ao do dióxido de carbono.

 

Halocarbonetos - no contexto do efeito estufa são gases sintéticos e as ligações do átomo de carbono já estão associados a outros elementos, como cloro, flúor ou o bromo.  A maioria desses gases aumentaram do nível próximo de zero no período pré-industrial para concentrações bem maiores, devido às atividades humanas.  São os clorofluorcarbonetos (CFC´s), hidroclorofluorcarbonetos (HCFC´s) e hidrofluorcarbonetos (HFC´s), bromofluorcarbonetos (halónios).

 
Hidrofluorcarboneto (HFC´s) passou a ser adotados com mais intensidade pelo setor industrial a partir dos anos 1990, em substituição aos clorofluorcarbonetos (CFCs) que estavam a ser retirados pelo Protocolo de Montreal, devido a seu impacto na camada de ozono.  O HFC´s não afetam essa camada mas tem um impacto ainda maior sobre o efeito estufa, com um potencial de aquecimento global que pode ser de 120 a 12.000 vezes superior o do dióxido de carbono.  O HFC´s podem ficar na atmosfera até 400 anos.

Clorofluorcarbonetos (CFC´s) são muito utilizados em sprays, e equipamentos de refrigeração os CFC´s contribuem para o aumento do efeito estufa e também degradam a camada de ozono. A sua utilização foi bastante reduzida após 1987, quando foi assinado o Protocolo de Montreal sobre o uso de substâncias químicas para reduzir o buraco sobre a camada de ozônio.  Atualmente, contribuem com 12% do efeito estufa do planeta, podendo permanecer na atmosfera de 50 a 100 anos.  O seu potencial de aquecimento global é cerca de 10 mil vezes maior que o do CO2 mas os CFC´s também provocam um processo de arrefecimento ao destruir o ozono e  tem um tempo de duração de 50 a 1700 anos e participa em 10% para o EE.
 
Vapor de água (H2O) - É o maior agente natural do efeito estufa no planeta.  Apesar de ser libertado por algumas atividades produtivas, as actividades humanas têm pouca influência sobre a quantidade de vapor na atmosfera, que varia com a temperatura de cada região, sendo mais abundante em zonas mais quentes.  O aumento da temperatura do planeta pode levar à elevação do vapor libertado pelas fontes hídricas e aumentar a contribuição desse gás para o efeito estufa.  Essa contribuição é mínima atualmente e a permanência do vapor na atmosfera não passa de alguns dias.

Fonte: Painel Intergovernamental para as Alterações Climáticas (IPCC), 1995


Quais as fontes dos gases com efeito de estufa?

No sector da energia, esses gases são libertados pela queima de combustíveis fósseis, nomeadamente nas indústrias energéticas, industrias manufactureiras e de construção e transportes.
Quanto à agricultura, as substâncias são originadas a partir do cultivo de arroz, agricultura, queima de resíduos agrícolas e de florestas, entre outras fontes.
A incineração de resíduos e a deposição de resíduos sólidos nas terras constituem outras fontes de gases com efeito de estufa.
Fonte: Anexo A do Protocolo de Quioto


Quem são os principais emissores de dióxido de carbono?

    • EUA (25%)
    • Europa (19.6%)
    • China (13.5%)
    • Ex-URSS (10.5%)
    • Japão (5.6%)
    • Índia (3,6%)
    • Reino Unido (2,5%)
    • Coreia do Sul (2,2%)
    • Canadá (2,1%)
    • Austrália (1,3%)
    • Outros países (14.1%)

Consequências catastróficas
      • Derretimento dos calotes polares
      • Aumento do nível médio do mar
      • Alterações climatéricas
      • Mudanças nos ecossistemas
      • Desaparecimento de áreas costeiras
      • Aumento de catástrofes naturais: furacões, tufões, tsunamis...
      • Submersão de cidades costeiras e ilhas
      • Falência das companhias de seguro
      • Extinção de muitas espécies terrestres e marinhas
      • Diminuição de colheitas agrícolas
      • Aumento dos preços
      • Fome mundial e falta de espaço

(Simbiose de paz verde na terra)

Pedro Gonçalo C.S. Silva
                         
 


Publicado por simbioseverde às 00:09

Link do post | Comentar | Ver comentários (3) | Adicionar aos favoritos
|
Terça-feira, 19 de Junho de 2007

Como poupar dinheiro e ajudar o Ambiente.

Porque é preciso uma nova atitude...

Pequenos grandes gestos que ajudam o Meio Ambiente 

ÁGUA
 
  1. - Feche sempre muito bem a torneira, logo que não precise mais de água e todas as que vir a pingar. (A torneira  a pingar 1gota/segundo pode gastar até 45L de água por dia e um "fiozinho" de água 2 068L de água por dia)
  2. - Concerte as torneiras e autoclismos.
  3. - Sempre que vir uma rotura/fuga de água na rua, avise a entidade distribuidora  para que seja rapidamente resolvida.
  4. - Limpe o carro  de balde e esponja/pano e o pátio de balde e vassoura - os gastos de água serão incrivelmente menores..
  5. - Não deixe a água a correr quando lavar a louça, os dentes, a cara, fizer a barba, tomar banho, regar, etc.
  6. - Opte por torneiras de menor caudal (4L/min), sempre que tiver necessidade de trocar uma torneira clássica.
  7. - Instale torneiras com aerador (rede na saída da água). Ele dá a sensação de maior vazão, mas, na verdade, faz exactamente o contrário.
  8. - Antes de lavar a loiça, limpe-a muito bem com talheres ou com as mão, removendo o máximo de sujidade que lhe seja possível. (evitando gastar mais água)
  9. - Lave a loiça numa bacia com água e abra a torneira só para enxaguar.
  10. - Aproveite sempre que possível a água da chuva. Você pode armazená-la em recipientes colocados na saída das calhas ou na beirada do telhado e depois usá-la para regar as plantas. Só não se esqueça de deixá-las tapadas depois, para evitar a proliferação dos mosquitos, que colocam as suas larvas na água.
  11. - Utilize a água fria que o esquentador demora aquecer, para limpar a casa, regar plantas ou encher o autoclismo por exemplo.
  12. - Coloque uma garrafa cheia de água ou areia no interior do depósito do seu autoclismo. A água que se gasta em cada descarga no autoclismo é superior à que realmente é necessária. (Pode poupar4 a 8L em cada descarga).
  13. - Diminua as doses de detergentes de limpeza e não despeje óleos, nem produtos químicos pelo cano a baixo, porque contaminam grandes quantidades de água e matam os microrganismos  das estações de tratamento (que ajudam no tratamento da água) e para além disso são necessárias dispendiosas e elaboradas operações de tratamento  para neutralizar/eliminar esses resíduos para que possa novamente ser utilizada a água por todos nós. Podem colocar o óleo e produtos químicos garrafas de plástico (enchendo-as assim evita encher muitas) e por para reciclar .
  14. - Regue o jardim de manhã cedo ou ao fim da tarde. Nos períodos de maior intensidade solar, grande parte da água de rega perde-se por evaporação.
  15. - Um chuveiro de baixa pressão equivale a poupanças significativas, na quantidade de água aquecida - e pode evitar a emissão de 160kg de CO2 por ano. 15% da energia gasta numa casa vai para o aquecimento da água.
  16. - Prefira os duches aos banhos de imersão.
  17. - Use apenas detergentes branqueadores biodegradáveis. Detergentes com perborato de sódio (SPB)  é prejudicial à vida em ambiente aquático, enquanto que o perclorato de sódio (SPC) não é prejudicial.

 ELECTRICIDADE

 

  1. - Utilize lâmpadas fluorescentes compactas (CFL) energeticamente eficientes, que reduzem o consumo de energia em 80% e as lâmpadas de halogéneo em menos de 40% quando comparado com a utilização de lâmpadas incandescentes.
  2. - Desligue a luz ou qualquer aparelho eléctrico da corrente eléctrica assim que não estiver a precisar (sem esquecer é claro de carregadores e aparelhos que ficam (em standbay) com aquela luz acesa), caso se verifique que o arranque destes não consome mais do que o tempo que vai se encontrar desligado.
  3. - Escolha electrodomésticos de alta eficiência (classes A, A+ e A++). Normalmente, as diferenças de preço são pequenas e as poupanças de energia consideráveis.
  4. - Se tiver mesmo que adquirir um aparelho de ar condicionado não escolha o mais potentes (gastador) do que precisa. Opte por sistemas com um alto COP (Coeficiente de Desempenho, relação entre a energia térmica produzida e a electricidade consumida).
  5. - Evite abrir desnecessariamente a portado do frigorífico, deixar durante muito tempo aberta ou colocar algo muito quente dentro deste, quando isso acontece, o frigorífico pode gastar ate 20% de energia eléctrica total do electrodoméstico.
  6. - Verifique o estado das borrachas do frigorífico , caso não vedem bem devem ser substituídas.
  7. - Limpe o gelo do congelador para diminuir o consumo de electrecidade.
  8. Desligue as luzes dos locais onde não se encontra ninguém.
  9. - Use lâmpadas com regulador de intensidade, assim pode escolher a quantidade de luz exacta de que precisa.
  10. - Reduza as luzes que usa. Compre um regulador de intensidade ou retire algumas  lâmpadas, em vez de acederem 5, passam a acender 3. No exterior da casa, coloque sensores para que apenas acendam na presença de alguém.
  11. - Use as escadas em vez do elevador. Economiza energia eléctrica e gasta calorias.
  12. - Deixar as janelas abertas com os sistemas de climatização ligados desperdiça imensa energia. Um ar condicionado nessa situação será obrigado a trabalhar mais tempo para arrefecer o ar que entra da rua. Por hora a mais que um aparelho de 8 000 CTU funciona são gastos 2,3 kWh – e mais de 1kg de CO2 é lançado na atmosfera.
  13. - Utilize a luz natural sempre que poder. Economiza energia eléctrica e torna o local mais agradável.
  14. - Reduza a temperatura de lavagem de roupa. O aquecimento é responsável por 80% a 85% dos gastos energéticos da máquina. Lavar a 40ºC (0,6 kWh por ciclo) em vez de 6oºC (1,3 kWh) diminui o consumo de electricidade em 46%.
  15. - Tem mesmo de secar a roupa na máquina? Lembre-se que em média, chove entre 65 e 100 dias por ano, em Portugal. E por cada hora que trabalha, uma máquina de secar leva à emissão de 1,5kg de CO2. Se, apesar de tudo, decidir que não consegue viver sem ela, utilize-a só com a carga máxima.
  16. - Lave a roupa apenas com a máquina cheia. Se não for possível, opte por programas mais curtos, que fazem poupar até 1/5 de energia. Um gesto importante, quando se sabe que o tratamento de roupa é responsável por 7% do consumo eléctrico de uma casa.
  17. - Use os electrodomésticos fora dos horários laborais. Nos períodos de ponta, de picos de consumo energético, a EDP pode ser obrigada a aumentar a capacidade de produção, recorrendo, inclusivamente, a centrais a gasóleo. Tente programar os seus electrodomésticos para o período entre as 20 e as 7h da manhã e ao fim-de-semana.
  18. - Verifique o calcário da máquina da roupa, que pode fazer com que a resistência funcione mal e gaste mais energia a aquecer a água.
  19. - Espere até ter uma grande quantidade de roupa para engomar e desligue o ferro um pouco antes de terminar o trabalho. Se tiver para comprar um, saiba que um ferro de engomar com uma potência de 1500W gasta menos 25% de energia que outro de 2000W.
  20. - Opte por um computador portátil. Pode poupar até 90% de energia o que, para utilizações médias de 5h por dia, evita durante 1 ano, a emissão de 12kg de CO2.
  21. - Opte por aparelhos electrónicos com a etiqueta Energy Star. Esta certificação da Agência de Protecção Ambiental Americana garante que os equipamentos são de 10% a 50% mais eficientes no consumo de energia.
  22. - Use o micro-ondas em vez do forno, para aquecer comida. Além disso, com um comum acessório que permite aquecer dois pratos ao mesmo tempo, diminui os gatos de energia para metade.
  23. - Retire os carregadores de telemóvel das tomadas, assim que a bateria estiver carregada; não é por acaso que o aparelho se mantém quente, mesmo quando não está a carregar o telemóvel.
  24. - Reduza a intensidade do ar condicionado em 1ºC que representa 10% de poupança energética. Mesmo que seja utilizado apenas 10 horas por dia, ao longo de 3 meses de Verão, esta simples acção representa menos 100kg de carbono emitido para a atmosfera.
  25. - Escolha máquinas de lavar com as capacidades adequadas às suas necessidades e se possível, com opção de meia carga.
  26. - Limpe ou substitua os filtros de ar condicionado com frequência. Filtros sujos impedem o escoamento do ar, obrigam a um maior gasto de energético e faz mal à saúde.
  27. - Ponha a máquina da loiça a trabalhar apenas em modo económico ou rápido, o que permite poupanças de energia entre 40% e 60%. Não passe por água antes (basta não deixar os restos de comida secarem).
  28. - Nas casas de banho públicas se poder escolher, utilize o secador de mãos eléctrico. Visto que é necessário muito menos energia para aquecer e soprar ar para as suas mãos, do que fabricar toalhas de papel, transporta-las e deitá-las fora.
  29. - Instale o frigorífico num local fresco e longe de fontes de calor. Baixando a temperatura envolvente em 5ºC pode economizar até 30%.
  30. - Ajuste a temperatura do termóstato do frigorífico, de forma a impedir a formação de gelo (-15ºC para o congelador). O gelo acumulado no congelador provoca um aumento de consumo. Uma camada de gelo superior a 5mm pode causar um aumento de energia de cerca de 30%.
  31. - Mantenha a parte traseira do frigorífico, congelador ou arca limpa e ventilada.

 

TRANSPORTES

 

 

  1. - Não faça do carro um armazém móvel; 100kg de carga podem aumentar o consumo de combustível em mais 1L por 100Km. Ao fim de 15000km, estes quilos extra são responsáveis pela emissão, perfeitamente evitável, de 24kg de CO2 e por mais 180 euros, na factura do combustível.
  2. - Evite ter uma condução agressiva, alargue o seu campo de visão e evite travagens bruscas e mudanças de velocidade inúteis, possibilitando cerca de 5 a 10% de economia de combustível e redução do desgaste do carro (motor, pneus, travões..). Velocidades altas aumentam significativamente o consumo de combustível.
  3. - Desligue o motor durante paragens prolongadas.
  4. - Não use o carro para trajectos curtos - ande a pé ou de bicicleta. Imagine que percorre 1km por dia para ir comprar pão. Se for  a pé, num ano, terá evitado 50kg de emissões, poupado 35 euros e gasto cerca de 4500 calorias.
  5. - Vá para o emprego de transportes públicos; evita o stress do dia-a-dia e a manutenção de um carro é mais cara do que um passe mensal de transportes, ou partilhe o carro com outras pessoas, num esquema de boleias previamente combinadas.
  6. - Faça as revisões dentro do prazo previsto, verifique o óleo uma vez por mês e controle a pressão dos pneus - 0,5 bar a menos pode aumentar o consumo em 5%.
  7. - Utilize a mudança mais alta possível a uma velocidade constante (caso tenha utilize o  “Cruise Control”) e sempre que possível, mantenha as rotações do motor abaixo das 2500 rotações por minuto para os carros a gasóleo e 3000 rpm para os carros a gasolina.
  8. - Durante aceleração, troque de mudança entre as 2000 e 2500 rpm nos motores a gasolina e entre as 1500  e 2000 rpm nos motores a gasóleo ;
  9. - Os suportes para o tejadilho alteram a aerodinâmica do carro, prejudicando a performance e aumentam consideravelmente o consumo de combustível - retire os sempre que não estiverem a ser usados.
  10. - Evite sempre que possível conduzir com as janelas do veículo abertas, visto que  provocada resistência aerodinâmica, fazendo com que aumente o consumo cerca de 4% do combustível.
  11. - O ar condicionado ligado aumenta o consumo de bateria e combustível. No caso de ter muito calor, evite ligar o ar condicionado pelo menos na cidade e de mal o menos abra a janela do veículo.
  12. - No Verão, planeie as viagens paras as alturas mais frescas do dia, evitando usar o ar condicionado, responsável pelo aumento do consumo em cerca de 20%. No Inverno, adopte a estratégia contrária.
  13. - Precisa mesmo de um todo-o-terreno? Pick-ups, 4X4 e minivans são verdadeiras chaminés, campeões do consumo de combustível. Em média, um veículo deste género emite o dobro de um carro ligeiro. Pense bem no que isto faz ao ambiente e à sua carteira.
  14. - Na compra de um veículo novo tenha em consideração a sua eficiência energética e o seu consumo.
  15. - Quando conduzir indique sempre com os "piscas" a sua intenção  de  mudar de direcção tanto em cruzamentos / entroncamento e rotundas. Visto que, se os outros condutores souberem da sua intenção com antecedência, escusam por vezes de parar o veiculo ou travar bruscamente.
  16. - Escolha um carro híbrido (combinação de motores a gasolina e eléctrico). Além de beneficiar de uma redução de 40% no imposto automóvel, gasta menos combustível - a velocidades inferiores a 20km/h e em descidas e pouco acentuadas, o motor desliga-se. 15000km num híbrido emitem menos 525kg de CO2 do que um carro a gasolina.
  17.  - Evite o avião, especialmente em trajectos curtos. este é o maior poluidor de todos os transportes; numa viagem de ida e volta entre Lisboa e Madrid são emitidos 140kg de CO2 por passageiro. Uma vez que o consumo de combustível é mais acentuado na descolagem e na aterragem, são especialmente penalizadoras as viagens de curta distância. Prefira o comboio para deslocações inferiores a 500km. Contabilizado o período de espera no aeroporto, vai ver que compensa, mesmo em termos de tempo.
  18. - O motor dos automóveis não precisam de ser aquecidos antes do arranque, visto que aquecem mais rapidamente em andamento.
  19. - Conduza com suavidade nos primeiros quilometros. O consumo e a emissão de poluentes são maiores antes do motor atingir a temperatura ideal.
  20. Mantenha-se atento ao trânsito, antecipando manobras e evitando travagens bruscas.
  21. - Respeite as indicações do fabricante para a manutenção do seu carro. Exp: Problemas nas velas, nos injetores, ou filtros de ar podem aumentar o consumo até 50%.
  22. - Quando estiver a estacionar utilize apenas a embraiagem e pondo o pé ligeiramente no acelerador .
  23. - Pode arrancar o carro em segunda caso se encontre numa descida. Permitindo diminuir o consumo e poluente para o ar.

 

 

3R - REDUZIR - REUTILIZAR - RECICLAR

 
  1. - Recicle o lixo. Ao separá-lo, contribui 2 vezes para a redução do efeito de estufa; evite a produção de matéria virgem e reduz a quantidade de detritos que vai para aterro ou incineração, processos que só por si são responsáveis pela emissão de CO2. Cada tonelada de plástico reciclado poupa 1,35 toneladas de CO2; de vidro, 0,835; de metal 1,795; de papel e cartão de embalagem, 0,43 toneladas. Estará ainda a gerar emprego e a dar oportunidade a reciclagem de materiais.  
  2. - Utilize os dois lados da folha de papel, aproveite as folhas “estragadas” para deixar recados ou como testes de impressão por exemplo. Lembre-se de que, em2005, a produção portuguesa de papel emitiu 880 000 toneladas de gases com efeito de estufa.
  3. - Não agarre panfletos que são entregues na rua a não ser que esteja interessado nas informações e caso agarre, não deite para o chão depois de tê-lo lido.
  4. - Melhore o seu computador, invés de comprar um novo. Anualmente, mais de 20 milhões de toneladas de lixo electrónico são deitados fora e a maioria ainda não é reciclada.
  5. - Gaste o mínimo de papel para limpar as mãos, nas casas de banho públicas, sacudindo bem as mãos evitando assim maiores gatos de papel.
  6. - Seja solidário e de as roupas, sapatos e aparelhos que já não usa, pois este podem  ser úteis para as outras pessoas.
  7. - Conserte os electrodomésticos sempre que poder, assim evita comprar novos e produzir mais lixo.
  8. - Compre produtos que permitam a reutilização das embalagens.
  9. - Dê preferência a produtos fabricados com materiais reciclados. Desta maneira, você estará reduzindo o uso da matéria-prima, gastando menos energia e ajudando o planeta.
  10. - Guarde o lixo consigo até encontrar um local adequado para o colocar, caso se encontre na rua.
  11. - Utilize talheres, copos e pratos de louça. Os descartáveis geram lixo e demoram a decompor-se.
  12. - Tenha em casa um pequeno compostor doméstico, com restos orgânicos; como cascas de frutas, legumes e folhas e assim produz adubo natural para o seu jardim.
  13. - Evite pinturas e limpezas com produtos contendo solventes. Utilize preferencialmente tintas e vernizes de base aquosa e produtos de limpeza sem solventes, dado o papel fundamental que estas substâncias desempenham na formação do ozono troposférico.
  14. - Evite comprar o que não precisa, para não gerar mais lixo. Para facilitar, faça uma lista prévia e além de economizar, fará menos lixo.
  15. - Evite trazer muitas embalagens nas compras, quando pode trazer embalagens familiares com a mesma quantidade e mais barata.
  16. - Use guardanapos, lenços e fraldas de pano.
  17. - Utilize vapor de água para a limpeza da casa.
  18. - Sempre que possível, compre e utilize produtos feitos de materiais reciclados e encoraje outras pessoas a fazer o mesmo
  19. - Evite os sacos de plástico. Se usar 20 sacos de plástico novos por mês, admitindo que o índice do plástico é 6,25kg de CO2 por quilo e que cada saco pesa 10g, estará a contribuir com 15kg de CO2 por ano. Por isso, invista num saco mais robusto e durável (um de algodão emite apenas 600g de CO2, num ano) ou reutilize o das compras anteriores.
  20. - Use pilhas recarregáveis.
  21. - Opte pelo papel reciclável, promovendo o aumento da produção deste.
  22. - Prefira produtos não empacotados. 2/3 dos resíduos urbanos da União Europeia são embalagens. Tenha em mente que cada tonelada de cartão produzida emite 644kg de CO2; de plástico, 1600kg; de vidro, 2905kg; e de metal, 2970kg. Se não poder evitar as embalagens, reutilize-as ou recicle-as.
  23. - Não deite os telemóveis velhos ou as impressoras para o lixo. Há entidades especializadas na recolha e reciclagem de resíduos de equipamentos eléctricos e electrónicos. Pode entregá-los nos revendedores que, no caso da compra de um novo, são obrigados a aceitar o usado. 
  24. - Desembrulhe as prendas com cuidado e reutilize o papel. Se, no próximo Natal, utilizar 3m2 de papel de embrulho estará a contribuir com 154g de CO2. Multiplicando este nº por 10 milhões de portugueses… Seja imaginativo e ofereça presentes embrulhados em papel de revista ou pano.
  25. - Tenha, no emprego, um copo par a água. Se utilizar 3 copos de plástico por dia, emitirá 20 kg de CO2 por ano.
  26. - Evite comprar objectos que contenham mercúrio.
  27. - Evite usar produtos com difusor em spray.
  28. - Tente usar detergentes sem químicos.
  29. - Não queime coisas que já não quer, para isso é que existem as empresas de reciclagem e de tratamento de matérias não recicláveis que dão a estes matérias o melhor encaminhamento, reutilizando, eliminando ou minimizando ao máximo o impacte que podem trazer para o meio ambiente.
  30. - Rasgue os papéis ou compre um destruidor de papel em vez de os queimar.
  31. - Reencha toners e tinteiros.
  32. - Reutilize o envelopes, arquivos, caixas e clips.
  33. . Passe a ver as notícias só na Internet em vez de ver em revistas e jornais evitando assim toneladas de papel por ano.

 

ÁRVORES - AGRICULTURA BIOLÓGICA

 

  1. - Não corte ou destrua árvores  lembre-se que são elas que nos dão oxigénio para poder-mos respirar.
  2. - Plante uma árvore - ou várias. Cada uma absorve até 10kg de CO2 por ano. Em alternativa, pode recorrer a entidades como Carbono Zero ( www.carbono-zero.com ) ou a Carbon Free ( www.carbonfree.org ), que o fazem por si, compensando as emissões relacionadas com viagens ou os consumos domésticos.
  3. - Não queime a madeira que não precisa no Verão, mal por mal utilize no Inverno e escusa de comprar e queimar mais madeira.
  4. - Em vez de usar pesticidas à base de químicos, utilize substâncias naturais de origem vegetal. Por exemplo a Chelidonium majus (celidónia, arruda ou erva-andorinha), a Picris spinifera (raspa-sais-espinhosa e repassage) e a Thevetia peruviana ( também chamada de chapéu-de-napoleão, noz-de-cobra e yellow oleander), todas espécies nativas portuguesas.
  5. - Coma produtos agrícolas biológicos certificados, pois estes foram produzidos sem o recurso de químicos tóxicos persistentes.
  6. - Coma menos carne. Sabendo que a pecuária é responsável por 71% das emissões nacionais de gases com efeitos de estufa, no sector agrícola, e que consumimos, em média, + proteínas (especialmente carne) do que o recomendado pelos especialistas, não custa nada ser vegetariano uma vez por semana.
  7. - Opte por produtos locais. O que é nacional... emite menos CO2. Antes de comprar, verifique a origem dos frutos e vegetais e de como foram transportados até ao supermercado. Um carregamento por avião é cerca de 40 vezes mais poluente do que um por barco.
Aquecimento/Isolamento de uma casa

 

  1. - Se for comprar uma casa ou construir uma casa lembre-se que o ideal é ter a cozinha, a sala e os quartos virados para sul, podendo aproveitar ao máximo a luz do sol e diminuir o uso da electricidade.
  2. - Se poder use painéis solares. Claro que se trata de um investimento, mas a economia que terá na conta de luz, cobre o custo da instalação do equipamento em 3 anos, e depois são lucros.
  3. - Instale autoclismos de 2 descargas.
  4. - Um simples cortinado pode reduzir 30% das perdas de calor de uma casa. No Inverno, feche as cortinas, ao fim do dia. No Verão, a melhor arma contra o calor são os estores de lâminas.
  5. - Instale vidros duplos e tape as frestas com fita de espuma. Pelas janelas perde-se 10 % a 25% do calor e do frio de uma habitação. Esta mudança pode fazer poupar até 30% dos gastos energéticos com sistemas de climatização.
  6. - Feche as saídas de fumo da lareira, se não estiver a ser utilizada. E tenha em conta que os recuperadores de calor multiplicam 3X  a eficiência das lareiras.
  7. - Desligue a chama piloto do esquentador logo que não precise (isto se não tiver um esquentado inteligente).
Cozinha
  1. - Desligue o forno, antes de terminar um cozinhado; a  temperatura ainda se mantém, durante algum tempo.
  2. - Cozinhe de forma eficiente. Escolha o bico do fogão adequado ao tamanho do recipiente. Se o diâmetro da panela for 5cm maior do que o do bico, desperdiça-se cerca de metade da energia. Se estiver a cozinhar num fogão eléctrico, escolha um tacho de fundo liso para que haja bom contacto térmico entre as superfícies.
  3. - Tape sempre os recipientes e baixe a chama ao mínimo necessário., enquanto cozinha; panelas destapadas poderão gastar 3 vezes mais energia e se tapar irá poupar cerca de 20 a 30% de energia.
  4. O frigorífico gasta menos energia se o descongelador for limpo regularmente, sobretudo o pó da parte de trás.
  5. Pode reduzir-se a humidade do frigorífico ao guardar a comida em caixas, frascos ou sacos fechados. Isto irá diminuir o consumo de electricidade e a comida mantém-se fresca por mais tempo.
  6. O arrefecimento é um processo que gasta muita energia. Cada grau acima da temperatura recomendada (5ºC para frigorífico e -18ºC para congelador) irá aumentar o consumo em 5%.
     

 

 

Estes são alguns dos muitos pequenos gestos que trazem grandes resultados na ajuda do meio ambiente.

 

Agradeço todas as sugestões que possam dar ...

 

 

 

 

Lembra-te, este problema é meu é teu e é de todos nós.

 

Se conseguir fazer destes pequenos gestos, hábitos naturais do dia a dia; estará ajudar e muito o meio ambiente.

 

Conto contigo para pores em prática estas acções e para as divulgares.

 

É que o tempo urge …

 

Será que é preciso mais avisos da Mãe Natureza?

 

Será que não somos capazes de viver em simbiose com a Natureza?

 

Quando é que o ser Humano vai acordar para a realidade deste Nosso Grande Problema?

 

Será que vai a tempo?

 

Será que acorda?

 

 

 

 

Tudo depende de como vês, enfrentas, aceitas e das valor às coisas.

De que estás à espera?

 

 

 
Pensa nisto…
 

(simbiose de paz verde na terra)

 

 

 

                                                                                            Pedro Gonçalo C. S. Silva

:
Publicado por simbioseverde às 09:36

Link do post | Comentar | Ver comentários (12) | Adicionar aos favoritos
|

-Sobre mim

-Pesquisar neste blog

 

-Fevereiro 2016

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29

-Posts

- Filmes videos séries que ...

- Separação do lixo

- Árvores De Portugal

- A Importância das Plantas

- Compre um carro que polui...

- O Homem é o "vírus"..é a ...

- Os 10 Carros Menos Poluen...

- Fontes de Energias Renová...

- Fontes de energia alterna...

- Projectos e invenções par...

- Algumas Organizações Ambi...

- Sabia que...?

- Videos - Ambiente

- Efeito de estufa

- Como poupar dinheiro e aj...

-Arquivos

- Fevereiro 2016

- Janeiro 2008

- Dezembro 2007

- Agosto 2007

- Julho 2007

- Junho 2007

-Tags

- todas as tags

-Links

-Protect

-GreenPeace

www.greenpeace.pt

-Relógio

-Contador de Visitas

contador gratis
contador gratis

-subscrever feeds